Blog da comunicação estratégica
Incomum

Comunicação com verdade e bem-comum

Luigi Sodré, atendimento na Incomum, divide com a gente a sua vivência e sentimento em uma das ações de final de ano realizadas pelo Supermercado Guanabara.
bem-comum


O TRABALHO

Neste natal, cada loja do Supermercado Guanabara recebeu como missão proporcionar uma dia de alegria para uma entidade local.
A Loja Shopping, por exemplo, apadrinhou a Raio de Luz, de Rio Grande - RS. É uma instituição que abriga diversas crianças em situações de risco. Elas visitaram o supermercado, brincaram em um espaço totalmente especial e ainda ganharam vários presentes dos colaboradores, além de uma visita do Papai Noel. No vídeo, você pode conferir como foi esse dia tão incrível e logo abaixo o relato do atendimento da conta, Luigi Sodre.
 
 

A EMOÇÃO DO TRABALHO

Na visão de quem esteve junto a este momento, Luigi Sodré, atendimento da conta, sempre muito envolvido e engajado, divide com a gente o setimento de ter feito parte de um trabalho como este:

"O Supermercado Guanabara sempre foi um cliente grande. Mas não grande por ser um dos maiores supermercados da região com suas dez lojas e milhares de colaboradores. Quando falo em grande, me refiro a grandiosidade da alma. E sim, acreditem, empresas possuem almas. Agradeço a Incomum por ter me feito perceber isto. 
 
Dia 15 de dezembro tive a oportunidade de viver mais um desses momentos grandiosos em que ele me proporcionou nessa curta trajetória de publicitário Incomum. Mais um momento de choro engasgado e sorriso no rosto. Mais um momento em que ele faz a gente olhar pra nós mesmos e até se sentir um grão de areia no meio do infinito. 
 
Para quem não sabe, o Supermercado Guanabara tem a tradição de realizar ações internas dos seus colaboradores nas entidades da região. Durante meus três anos de agência, já vi senhor ganhando carro e chorar por conseguir mudar de vida. Já acompanhei pessoas viajando com a família e se divertindo em parque de diversão ou celebrando o natal com espetáculos natalinos de "cair o cisco no olho". Sem contar o Natal Gordo e seus milhares de prêmios e ranchos que realmente mudam a vida de várias famílias. 
 
Nessa confusão que foi 2016… Pois ainda nao achei outro termo melhor, pude encerrar o ano com mais uma experiência incrível.  Uma loja inteira. Colaboradores empenhados. Uma entidade. E um monte de criançada feliz e da mais pura inocência. Crianças pequenas, de 05, 06, 07 anos... Com dificuldades físicas, com problemas já tão jovens, retiradas da família por situações de risco e inúmeros outros casos. Crianças que tiveram um dia de criança nesse natal. Um singelo dia de criança no shopping, onde se encontra uma das lojas do Guanabara em Rio Grande, num espaço cheinho de brinquedos que, talvez, alguns ali nunca tiveram a oportunidade de ter contato. 
 
Quando a gente olha para aqueles sorrisos bobos, honestos e sinceros, a gente percebe como o mundo é mais que isso.
 
É aquele soco no estômago. É aquele nó na garganta.
 
Volto pra Pelotas pensativo. Pensativo pois muito reclamão que sou, mal percebo que tenho sorte. Mas agradecido, pois venho conseguido usar da minha profissão, usar da comunicação, usar da publicidade (apesar de ainda existir alguns que acreditam que a publicidade trata-se apenas de fazer propaganda para alguém consumir mais) para transformar, alegrar ou proporcionar momentos assim, por menores que eles sejam. Devagarinho, a gente vai conseguindo fazer mais. Devagarinho a gente vai espalhando o bem-comum.
 
Em 2013, quando entrei na agência, pude ver o registro de uma ação similar em um lar de idosos, e ao chorar, eu pensei "quero poder participar de algo assim aqui também!" Hoje, três anos depois, eu encerro um confuso - porém incrível ano - participando e me transformando.
 
E novamente, eu saio de lá "sem saber se fizemos o bem a eles, ou se foram eles que fizeram o bem a nós."
 
 
É por histórias como essas que o pilar "verdade " e "bem-comum" são tão fortes na nossa empresa. É para levar eles até outras marcas que há alguns anos a Incomum teve a motivação de criar uma metodologia própria, que hoje chamamos de Plano de Voo.
Postado em 21/12/2016 -

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Enviar Comentário

Voltar

arquivo

Fale com a
Incomum

Enviar

E-mail inválido.