Blog da comunicação estratégica
Incomum

Arroz alimenta a mesa e a economia dos gaúchos.

Campanha desenvolvida pela Incomum valoriza toda a cadeia produtiva do arroz gaúcho, desde o campo até o supermercado.
arroz gaúcho

Diga rápido: qual é a base da alimentação brasileira? Provavelmente você respondeu arroz e feijão, certo? É difícil conhecer um brasileiro que não goste dessa combinação – muitos a consomem praticamente todos os dias. Agora, mais uma pergunta: você sabia que o Rio Grande do Sul é responsável por 70% da produção de arroz no Brasil?

A relação do brasileiro com o arroz é tão próxima que é difícil entender como ele sabe tão pouco sobre a origem do alimento que tanto gosta. Costumamos nos preocupar com a alienação das crianças que cresceram em cidades, dizendo que elas “pensam que o leite vem da caixinha”, mas a verdade é que também temos nossa cota de ignorância.

É claro que você sabe que o arroz, como um produto agrícola, é plantado e colhido na terra. Mas quem o planta? O que acontece entre o momento da colheita e o dia em que você pega um pacote de arroz na prateleira do supermercado? Há uma importante cadeia agroindustrial que faz essa “mágica” acontecer.

O que a agência Incomum tem a ver com isso? Para começar, nossa matriz fica em Pelotas, principal município do sul do estado, região de onde vem o grosso da produção gaúcha e brasileira de arroz. Nosso grande interesse e contribuição para a indústria arrozeira foi o desenvolvimento da campanha “Arroz Gaúcho – Alimenta a Mesa e a Economia”.

Criada a partir de uma iniciativa da RBS TV Pelotas, a campanha teve como objetivo justamente unir essa importantíssima cadeia produtiva e tornar seus feitos mais evidentes. Afinal, estamos falando de um produto que não apenas satisfaz grande parte de nossas necessidades nutricionais, mas também gera empregos e dinheiro para a região.

Valorização do arroz gaúcho e sua cadeia produtiva

A ideia de criar uma campanha de valorização do arroz gaúcho partiu do maior grupo de comunicação do sul do Brasil, a RBS, que já havia feito algo semelhante – com sucesso – com a indústria do tabaco na região de Santa Cruz do Sul. Foi criado um grupo de trabalho que reuniu três importantes forças do setor: Sindarroz, Sindapel e Fearroz.

Estamos falando dos sindicatos da indústria do arroz do estado e de Pelotas e da Federação das Cooperativas de Arroz do Rio Grande do Sul. A Incomum foi chamada para integrar as reuniões do grupo e participar do projeto como agência de comunicação responsável pela criação da campanha.

“O objetivo da campanha é florescer no povo rio-grandense o orgulho pelo que é da sua terra, colaborando também para que a indústria tenha força política junto aos governantes”, resumiu Stela Nesello, sócia da Incomum. Não se trata de puro bairrismo, mas sim reconhecimento de um setor de extrema relevância para o desenvolvimento socioeconômico do estado.

A partir daí, chegamos ao conceito “Arroz Gaúcho – Alimenta a Mesa e a Economia”, que faz menção, ao mesmo tempo, à importância alimentar do arroz e ao fato de a sua cadeia produtiva garantir emprego e renda para milhares de famílias.

A campanha desenvolvida a nível estadual, com inserções na RBS TV Porto Alegre, Pelotas, Bagé, Rio Grande, Santa Cruz do Sul, Santa Maria e Uruguaiana. Também foram veiculados comerciais na Rádio Gaúcha e patrocínio no programa “Gaúcha Hoje no Interior”.

Para finalizar, foi criada a página Arroz Gaúcho no Facebook. Ela foi utilizada para divulgar informações sobre a indústria arrozeira no estado, curiosidades sobre o alimento, receitas e vídeos.

Orgulho, economia e importância alimentar

A partir das reuniões com o grupo de trabalho, chegamos a três pilares que representam aspectos do setor arrozeiro que deveriam ser valorizados pela campanha: orgulho, economia e importância alimentar. Foram eles que sustentaram a criação do conceito “Arroz Gaúcho - Alimenta a Mesa e a Economia”.

O pilar do orgulho se baseia no fato de a região ser responsável pela maior parte da produção de um dos principais alimentos consumidos no país. Ao falar de economia, salientamos o quanto a cadeira arrozeira movimenta recursos diretos e indiretos – não apenas na lavoura e indústria, mas também em serviços paralelos, como o transporte.

Por fim, a campanha não poderia deixar de falar da importância alimentar do arroz. É a base da alimentação do brasileiro, culturalmente e pela sua função nutricional. Trata-se de um carboidrato barato, consumido em larga escala, em todas as camadas sociais. Do arroz também é extraído óleo de cozinha e farinha de arroz, usada para preparar produtos sem glúten.

Vídeos destacam pilares do arroz gaúcho

Os quatro vídeos produzidos para a campanha foram veiculados na RBS TV e publicados na página Arroz Gaúcho do Facebook. Confira:

Primeiro vídeo: números gerais da cadeia do arroz.

Segundo vídeo: importante fonte de emprego na região.

Terceiro vídeo: destaque para a tecnologia empregada no beneficiamento do arroz.

Quarto vídeo: importância alimentar do arroz.

Você não acha que esses são motivos de sobra para ter orgulho de toda a cadeia produtiva do arroz gaúcho? Deixe um comentário abaixo com a sua opinião. Para conhecer mais histórias de trabalhos realizados pela Incomum, fique ligado nos novos posts de nosso blog.

Postado em 20/10/2017 -

COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Enviar Comentário

Voltar

arquivo

Fale com a
Incomum

Enviar

E-mail inválido.